Como falar da maneira correta para o seu público?

Quando iniciamos algo, a primeira preocupação que nos deparamos é se as pessoas irão gostar daquilo que estamos propondo. Afinal, quando propomos um produto ou serviço, desejamos que as pessoas adquiram ou consumam aquilo que estamos vendendo. Certo? E é aí que entra o público-alvo. Você entende a importância de delimitar um público-alvo em suas iniciativas?

Quando falamos algo, falamos sempre para alguém!  

Não tem projeto ou iniciativa que seja para “todo mundo”. Sei que alguns aqui, ao lerem isso, irão veemente discordar dessa afirmação, mas a verdade é que esse todo mundo é amplo demais. 

Quando lançamos algo no mercado ou apresentamos uma proposta para alguma entidade que irá financiar nossa proposta, a pergunta padrão será: Para quem está sendo direcionada esta ação? Eita, aí começa a dar aquele bloqueio mental e você simplesmente responde: para todo mundo! Quem está do outro lado, pensa: Vigi, a proposta ainda está muito embrionária, precisa amadurecer. 

Sabe o ditado de vovó que dizia: “Se você buscar agradar todo mundo, vai acabar agradando ninguém”?  Pois bem, aqui cabe também para as tuas iniciativas. Nem todo mundo tem os mesmos gostos, nem os mesmos anseios ou problemas a serem resolvidos. Logo, esse “todo mundo” parece algo que na prática não funciona. Sempre que pensar em algo, pense no público que você deseja atingir

O público-alvo é justamente aquela parcela da população na qual você irá direcionar seus esforços para atingir seus objetivos. Entenda que esse público, que podemos falar em segmentação de mercado, possui características peculiares mas em comum e, portanto, foi definido como seu alvo para você ofertar suas soluções. 

Quem é o seu público-alvo? 

Entendido que o mundo é diverso, assim como as pessoas que habitam nele, é preciso definir os padrões ou características das pessoas as quais você deseja alcançar. 

Você deve refletir uma série de variáveis para segmentar o teu público. Vamos supor que você trabalhe com medicina fitoterápica mas ainda está meio perdida (o) na definição do seu público-alvo. Comece questionando para quem seria interessante propor esse tipo de conteúdo ou solução. Neste grupo podem estar pessoas mais velhas, que passaram por uma rotina de saúde pautada pela medicina tradicional ou alopática, mas que estão cansadas ou buscam alternativas para aliviar os efeitos colaterais proporcionados pela medicação. Então sua segmentação pode ser pessoas, cuja faixa etária esteja entre os 40 e 65 anos de idade. Oba, já temos uma definição de grupo. E o que mais? Muitas mulheres têm o hábito do cuidado com a própria saúde, é um público que costuma investir nesse tipo de serviço. Aqui, já temos um recorte de gênero. E por aí em diante. Você deve ir segmentando até você ter esse público bem definido. 

Na hora de pensar sobre o público-alvo, pense em agrupar as características em blocos, que podem ser: 

  1. Demográfica: idade, gênero, renda, condição socioeconômica, escolaridade, religião, ciclo de vida familiar (solteiro, casado, divorciado etc), nacionalidade entre outras.
  2. Geográfica: país, região, cidade, tamanho da cidade, residencial/comercial, clima entre outros.
  3. Psicográfica: valores, interesses, necessidades, personalidade, estilos de vida (criativo, saudável, esportista, gamer etc)
  4. Comportamental: motivação, hábitos (costuma comprar em lojas onlines ou física, costuma viajar, frequenta cafés etc), frequência de uso (aplicativos, Internet etc), estágio de propensão (alheio, informado, interessado, intencionado etc)

Por que é importante definir um público-alvo? 

Voltando ao conselho de vovó: definir um público-alvo é importante para que sua mensagem ou proposta de serviço seja entregue efetivamente

Não adianta direcionar seus esforços para quem não tem a mínima pretensão de parar um pouco e escutar o que você tem a dizer. A definição do público-alvo te leva a agir de forma mais estratégica sobre a forma como você comunica sua ideia, vende seus serviços e procura seus parceiros para levar adiante seu negócio. 

Então, vou listar alguns dos benefícios para você se convencer, de uma vez por todas, que ter um público-alvo definido vale à pena: 

  1. Quando definimos o público-alvo, otimizamos nossas campanhas de comunicação e elas se tornam mais efetivas! E acabamos desperdiçando menos dinheiro também 😉
  2. Quando entendemos quem queremos alcançar e conhecemos bem essas pessoas, a nossa comunicação acaba sendo melhor, mais assertiva!
  3. Assumimos um posicionamento que é relevante para aquele determinado público. Sempre é bom lembrar que nem todas as pessoas são iguais e, portanto, possuem visões e gostos diferentes.
  4. Quando entendemos bem o nosso público, conseguimos ofertar soluções que o nosso concorrente não consegue. Ou seja, temos um diferencial frente à concorrência!
  5. Atraímos pessoas cujos valores estão alinhados aos valores da nossa iniciativa. 

Você se convenceu de que precisa pensar melhor no seu público? Procure entendê-lo, antes de tudo, e trabalhe de forma mais assertiva para alcançar os seus resultados. 

👍🏽 Gostou do conteúdo? Acompanhe as redes sociais Ao Vento e compartilhe estas informações para chegar em mais pessoas e iniciativas que precisam saber disso!

1 comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *